Contactos

Contacto: Eduardo
Gondomar
Porto - Porto

Telefone: 934992654
914000455
Afixo: Nenhum

Raças Criadas

PINSCHER o mini guarda

22/11/15

 

A designação Pinscher, refere-se  na realidade a um conjunto de raças que engloba desde o Pinscher miniatura que conhecemos até Dobermans e Schnauzers.

O Pinscher Miniatura não é uma versão miniatura do Doberman Pinscher. Na verdade, ele é o mais velho dos dois. Existem poucas pistas sobre a origem do Pinscher, mas vale a pena notar que um cão do tamanho de um gato parecido com o Mini Pinscher foi retratado em uma pintura do século 17. No século 19, muitas pinturas mostravam cães claramente do tipo Pinscher.

Esses cães pensa-se serem resultado de cruzamentos entre um pequeno terrier de pelo curto (Pinscher Alemão) com Dachshund e Greyhound italiano. Muitos dos traços dessas raças podem ser vistos nos Mini Pinscher de hoje: a forte estrutura óssea, o mau humor e a coloração preto e castanha do Pinscher Alemão; a coragem e a coloração vermelha do Dachshund; e a elegância, jovialidade e movimentação ágil do Greyhound italiano. E o Pinscher Miniatura é ainda mais do que a soma dessas partes: ele talvez seja a raça mais cheia de energia do mundo! Esses pequenos “spitfires” alemães foram criados no início do século de 1800 para ser uma raça específica, o Reh Pinscher, nome escolhido por sua semelhança com o pequeno veado alemão (reh). “Pinscher” quer dizer simplesmente “terrier”. No final do século de 1800, o objetivo era produzir os menores espécimes possíveis, o que resultou em cães aleijados e feios. Felizmente, a tendência se inverteu, e em 1900, o destaque voltou a ser a elegância e a solidez. O Mini Pinscher se tornou um dos mais competitivos e populares cães de exposição da Alemanha da pré-Primeira Guerra Mundial, mas depois da guerra a raça caiu em números. Seu futuro ficou nas mãos dos cães que tinham sido exportados antes da guerra. Sua popularidade continuou a crescer na América, e ele recebeu o reconhecimento do AKC em 1929. Apelidado de “rei dos toys”, o Mini Pinscher foi acumulando admiradores e é hoje uma das mais populares raças nos Estados Unidos.

 

É considerada a menor raça de guarda no mundo. Reconhecidamente, é um canideo que requer cuidados práticos, e pelo seu tamanho adapta-se bem a diversos ambientes.

É um cão fácil de se adestrar, muito inteligente. Apesar de seu tamanho diminuto, pode ser bastante corajoso e feroz e, mesmo não assutando muito com sua aparência, é, sem dúvidas, um ótimo “alarme” para a presença de estranhos.

Principais características do Pinscher

·         Coloração:  a mais comum é preto com caramelo, havendo variações de totalmente preto, marrom e, muito raramente, cinza.

·         Expectativa de vida: de 14 a 16 anos.

·         Altura média: fêmeas, até 30 cm, e machos, até 35 cm.

·         Peso médio: 3,5 kg a 4,5 kg.

·         Nível de energia: alto.

·         Pelagem: lisa e curta.

·         Qualidades: é inteligente, bom guardião e fácil de educar. Também, dócil, brincalhão e agitado.

·          

1) Temperamento do Pinscher

O Pinscher tem fama de agressivo, mas é muito dócil e amoroso.

 

Apesar de seu carater de cão de guarda, o Pinscher é muito dócil, amoroso e apegado aos donos.

É bastante brincalhão e é capaz de se divertir com qualquer coisa ao seu redor. Também é muito valente e de personalidade forte. Sendo muito inteligente, ocupa 36º lugar no ranking e é considerado um cão que aceita e aprende facilmente o adestramento. Muito ativo, com muita vitalidade, energia e apegado ao seu dono.

É um cão de guarda nato, tanto que, em apresentações caninas, desfila imponente ao lado de Dobermans e Pastores Alemães. Talvez por isso seja tão valente e não tenha idéia de seu real tamanho.

Tem fortes instintos de defesa do território e do seu dono. Por ser altamanete territorialista, é bastante desconfiado com pessoas desconhecidas e, sem a educação e o adestramento correto, não vai pensar duas vezes antes de avançar em uma visita que venha dar um abraço em seu dono de forma repentina. Mas, se educado corretamente, essa proteção excessiva, que facilmente é confundida com agressividade, é controlada e, aos poucos, os convidados vão ganhando espaço com o cãozinho.

É uma raça bastante carinhosa e costuma seguir o dono por todas as partes.

2) São muito vocais

Os latidos insistentes podem ser controlados.

THINKSTOCK

Pinscher latem, e bastante. Apesar de terem ganhado fama de “chatos”, devido aos latidos insistentes, esse comportamento pode apresentar uma grande melhora se forem adestrados corretamente.

É uma raça que, se treinada, não vai latir por qualquer motivo, mas certamente vocalizará quando sentir que algo representa algum tipo de risco.

A fama de raça neurótica e histérica não é sem razão: Pinschers usam o latido para quase todas as suas formas de comunicação e, para um observador, não é difícil perceber as mudanças nos tipos de latidos em diferentes situações.

Muitos Pinschers latem excessivamente, e até rosnam, porque são incentivados por seus donos, que acham “bonitinho e engraçadinho” um cachorro tão pequeno com uma postura tão corajosa, que o faz reagir tão ferozmente. Esse comportamento gera cães estressados, agressivos e, nesse caso, até alguns histéricos e neuróticos.

3) A mestiçagem da raça e seus perigos

Os cruzamentos inescrupulosos trazem sérias consequências.

 

Pinscher é um descendente de um cruzamento antiga raça alemã de mesmo nome, um pequeno terrier de pelo curto (Pinscher Alemão) com Dachshund e Greyhound italiano., e o padrão da raça determina que esse cão tenha características muito bem definidas, crânio chato, orelhas em pé e olhos amendoados.

Com a crescente procura por animais ainda menores, começaram a criar o Pinscher Anão, que é ainda menor que o Pinscher convencional. Essa criação foi feita a partir do cruzamento selecionado de exemplares bem pequenos. No entanto, a busca por deixá-lo ainda menor fez com que a raça fosse cruzada frequentemente com Chihuahua, o que se torna bastante claro e é evidenciado  pelas orelhas laterais, olhos salientes e esbugalhados e o crânio também arredondado, em forma de maçã.

A mestiçagem do Pinscher, tanto entre si para serem menores quanto com Chihuahua, não traz apenas diferenças físicas que ficam fora do padrão da raça, mas podem trazer sérios problemas comportamentais quanto aos filhotes.

A grande maioria dos Pinscher agressivos e altamente vocais é mestiçado. Isso acontece porque, na hora do cruzamento, os animais são selecionados exclusivamente por seu tamanho, e seus criadores ignoram sua personalidade. Ao cruzar cães com comportamento agressivo ou muito barulhentos, as crias certamente apresentaram a mesma conduta, pois esse comportamento poderá ter origem genética nervosa. Ou poderá ser um comportamento aprendido durante os dois primeiros meses de vida na convivência com os progenitores mas essa atitude pode e deve ser controlada e desincentivada.

 

4) O Pinscher é um cão que exige cuidados simples

Sua pelagem lisa e curta facilita a vida dos donos.

O Pinscher é um cão que requer o mínimo de cuidado no que diz respeito à sua higiene e cuidados gerais. Sua pelagem curta e lisa é bastante limpa e sedosa.

Soltam pouquíssimos pelos e não precisam ser escovados nem banhados com muita frequência. O maior cuidado que se deve ter com um Pinscher está ligado ao seu tamanho e à sua personalidade. Por ser um cão bastante valente, destemido e agitado, é bastante propenso a acidentes, o que requer atenção.

Também é bom que suas brincadeiras com crianças sejam sempre supervisionadas, pois, apesar de serem muito amáveis com crianças, se a brincadeira for um pouco mais brusca, o cãozinho pode se machucar e, o pior, buscar retaliação.

O relacionamento do Pinscher com outros cães também requer alguns cuidados.

5) Problemas de saúde do Pinscher

É um cão bastante saudável e que apresenta grande longevidade.

Principais Preocupações: nenhuma
Preocupações Menores: Doença De Legg-Perthes, luxação da patela
Vistos raramente: Atrofia Progressiva da Retina
Exames Sugeridos: joelhos, olhos

É considerada a menor raça de guarda no mundo. Reconhecidamente, é um canideo que requer cuidados práticos, e seu tamanho o torna ideal para se adaptar bem em diversos ambientes.

É um cão fácil de se adestrar, muito inteligente. Apesar de seu tamanho diminuto, pode ser bastante corajoso e feroz e, mesmo não assustando muito com sua aparência, é, sem dúvidas, um ótimo “alarme” para a presença de estranhos.

 

O Pinscher, em geral, tem uma ótima saúde, é um cão com grande longevidade e bastante energia.

Um cão de guarda versão pocket

 

Então, animou-se para ter um Pinscher? Esse cãozinho corajoso circula entre cães grandes como um igual, é inteligente, muito carinhoso e protetor com relação à família.

Sua vocalização excessiva pode incomodar a muitos, então, antes de comprar um filhote, pense bem se ele se encaixa no seu estilo de vida e tenha certeza de que não vai comprar uma longa briga com os vizinhos. Um cãozinho é um compromisso de longo prazo, por isso, tenha certeza de que consegue conviver com todas as facetas de sua personalidade. Essa é uma decisão que deve ser muito bem pensada, pois, além de tudo, se você se dedicar, receberá muito amor em troca!